17 de nov de 2017

Incentivo da CBDE ao futebol feminino faz modalidade crescer no país


A alagoana Marta durante anos foi eleita pela FIFA a melhor jogadora de futebol do mundo, porém o Brasil mesmo tido como país do futebol, parece ter se esquecido disso. Com o objetivo de fomentar a prática desta modalidade dando as mulheres a oportunidade de mostrarem o seu talento, a Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE) não só incentiva, como apoia a prática do futebol feminino no país.
O pontapé inicial desse viés começou alguns anos atrás com o importante apoio da ex-jogadora da Seleção Brasileira de Futebol, Michael Jackson, reconhecida em todo mundo pelo legado deixado ao longo de décadas dedicadas ao esporte.
Eleita embaixatriz do futebol feminino escolar do Brasil na última edição do Brasileiro Escolar de Futebol, realizado na cidade de Belém do Pará, no início do ano, desde a sua passagem pelo Ministério do Esporte, a ex-camisa 9 sabe da importância de se incentivar a prática do futebol feminino nas escolas, já que em sua época, isso não existia. Após um período de 38 anos sem poder jogar futebol (1941 a 1979), as mulheres puderam retornar aos gramados em 1983, e foi quando Michael Jackson começou.
Uma das fotos favoritas dos muitos turistas no Rio de Janeiro, por exemplo, é junto à marca dos pés que estrelas do futebol eternizaram no Maracanã. No legendário estádio onde a separação entre ricos e pobres é em parte esquecida durante 90 minutos e todos se unem nas celebrações, especialmente quando a seleção brasileira joga, apenas os grandes podem ser lembrados.
Falta de uma liga profissional, baixos salários, poucos clubes. A vida não é fácil para as jogadoras de futebol no Brasil, ainda que a Seleção Feminina esteja entre as melhores do mundo. Atualmente, o Brasil ocupa uma posição de destaque no ranking mundial. Apesar disso e de a equipe ter chegado a uma final olímpica, a imprensa e os investidores brasileiros dedicam pouca atenção ao futebol feminino.
Por esse motivo a CBDE tem trabalhado para que esse panorama mude e aos poucos isso tem ocorrido. Desde a última participação do Brasil no Mundial escolar da modalidade realizado na cidade de Praga, na República Tcheca, em abril deste ano onde o Brasil conquistou a 4ª posição entre os principais países do mundo, o futebol feminino tem conseguido se destacar e em alguns estados a procura nas escolas pela modalidade tem aumentado.
A CBDE levanta essa bandeira não só em razão das milhares de potenciais atletas que sonham em jogar futebol, mas também por entender que como país do futebol, o Brasil deve ter todas as condições de incentivar, apoiar e investir no crescimento do futebol feminino, sobretudo onde ele começa que é na escola.

Fonte da informação - Departamento de Comunicação da CBDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário