27 de abr de 2015

Aldeir Torres - Em Venha-ver alunos e professores

Lotam a câmara municipal para pedir aprovação de projeto para doar terreno.
Nesta sexta-feira, 24 de abril, alunos, professores, pais de alunos e pessoas da comunidade lotaram a Câmara Municipal de Venha-Ver para reivindicar, do poder legislativo, a aprovação de projeto que doa terreno para ampliação e reforma de uma escola.
A proposta de projeto de lei que autoriza o poder executivo a doar um terreno para ampliação da escola estadual João Soares de Souza, ensino médio, foi enviado à Câmara Municipal de Venha-Ver em março de 2014 pelo Prefeito Expedito Salviano. Um ano depois, estudantes, professores e pais de alunos reivindicam a aprovação do projeto que o presidente da câmara, o Sr. Carlos Antonio da Silva, (Vereador Carlinho), o deixou engavetado e não o submeteu à apreciação e votação pela mesa.
O projeto tem urgência em ser aprovado visto que já tem um ano que os recursos estão liberados e aguardando apenas os procedimentos legais de doação do terreno por parte do município, para que as obras comecem. Se isto não acontecer, os recursos serão transferidos para outra escola estadual em outro município que possua terreno disponível para ampliação. Dessa forma, alunos do Ensino Médio e toda a comunidade serão prejudicados com a perda desses benefícios.
Os estudantes lotaram a Câmara Municipal levando cartazes mostrando que a sociedade está alerta àquilo que a Câmara deixa de aprovar em benefício da sociedade.
O presidente da câmara diante da população que se encontrava na casa, encerrou a seção antes que se cumprisse a pauta do dia. O primeiro secretário, vereador Miguel Queiroz, justificou que o projeto não é bem visto pela oposição porque o Estado do Rio Grande do Norte é rico e pode comprar o terreno.
Vídeo do local 
No final da seção o vereador Sandro Cabeção solicitou que o professor Edimar Ferreira de Souza falasse sobre os motivos da presença da sociedade naquela casa, naquele momento. O professor Edimar enfatizou da importância da aprovação do projeto para que a escola João Soares de Souza possa ser reformada, ampliada e construída uma quadra de esportes para a prática de atividades física daqueles alunos.
O professor Edimar enfatizou para o G5, (o grupo da oposição), que essa escola que está necessitando da reforma, é a mesma escola onde os filhos dos vereadores Miguel Queiroz, Carlinho, Jorgiana e Lêda de Célio irão estudar futuramente; é a mesma escola onde estuda atualmente a filha do vereador Moisés.
 A população, adolescentes e jovens não podem ser prejudicados por razões de uma oposição política que não contribui com projetos para a melhoria da qualidade do ensino no município. O professor ressaltou ainda que o presidente da câmara deve uma boa justificativa à população por ter deixado o projeto engavetado por um ano e não tê-lo submetido à apreciação e votação. Fonte - Edimar Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário