29 de abr de 2015

Aldeir Torres – De olho na copa primo Fernandes 2015.

Uma coisa que é notória em praticamente todos os jogos da copa primo Fernandes, e até esse exato momento a comissão organizadora por falta de investimento ou desorganização mesmo, não toma uma atitude. É em relação ao quarto árbitro nos jogos do evento nos fim de semana, o trio chega e fica procurando alguém do clube da casa para trabalhar como mesário e delegado do jogo, fato que já devia vir definida junto com a arbitragem pela comissão organizadora do evento, mas não fica tudo por conta do clube da casa, e pessoas ligadas ao próprio clube é que se encarrega de realizar o trabalho. Quando o correto é colocar uma pessoa neutra da mesma cidade que não faça parte da comissão ou elenco do clube para exercer a função, neste caso com relativo sucesso. Com isso gera certa insatisfação do clube adversário que na hora de se informar ou realizar as substituições, não conseguem identificar o mesário por não se encontrar no local apropriado entre os dois clubes, e não no banco de reservas do clube da casa como foi o caso do jogo no Toquartão, em São Miguel. Mesmo assim os clubes vêm se esforçando para corresponder a uma função que NÃO é da sua inteira responsabilidade, e assim vem contribuindo para o sucesso do evento, mas uma competição do nível que a copa primo Fernandes deveria ter uma estrutura melhor em relação à organização do evento, afinal ser grande não significa ter recorde de clubes escrito na competição não, tem vários outros fatores que são essenciais e que prova a grandeza da nossa querida copa primo Fernandes, entre eles organização, pagar melhor os árbitros, para que possa trabalhar com prazer e sem reclamar e assim por diante. 
Aldeir Torres - É nas grandes dificuldades que as pessoas comuns se preparam para resultados extraordinários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário