19 de mar de 2015

Aldeir Torres - Assim sou eu

Na letra da musica terceira lâmina com Zé Ramalho


Não se pode analisar o povo brasileiro pelas minorias, veja a pujança do Estado do Rio Grande do Norte e alguns outros, povo que trabalha e muito! Temos vários milhões de cidadãos honestos, porém mal educados e pouco participativos na política!
Povo faminto, calado, desempregado, subjugado..., é o povo brasileiro!  Acredita que na próxima eleição virá o salvador da Pátria para iça-lo do poço... As urnas se fecham. Nada mudou.  
Eu acho que devemos ser mais solidários com as pessoas, e com os pés na terra. Afastados da realidade, a Fera (Fome) Nos devorará. O tempo passou, é agora!


"Com aquela certeza que teremos no olho...", não tem nada a ver com misticismo ou ocultismo. Quer dizer que o povo oprimido não é mais ingênuo, não se apega mais nas projeções numéricas e confusas dos dominantes, mas procuram acreditar apenas nos fatos concretos, "no olho", sendo testemunhas oculares de realizações e não em promessas. 
As discriminações, desprezos e indiferenças que deformam o bem-estar das sociedades estão mais camuflados, maquiadas e imperceptíveis do que antes, trazendo como consequências disparates sociais absurdos e rivalidades entre classes e/ou pessoas, arrastando consigo mazelas como narcotráfico, latrocínios, sequestros, indigências etc. 


Mas, mesmo nesses cenários difíceis, é possível observar atitudes virtuosas nas populações faveladas e sem assistências, sem representatividade política, apar dos avanços socioeconômicos. Quem ver satanismo num poema lúcido desse, provavelmente, por causa da frase: E virá como guerra / A terceira mensagem / Na cabeça do homem / Aflição e coragem / Afastado da terra / Ele pensa na fera / Que o começa a devorar..., não deve perceber que nosso cenário político é repleto de religiosos que se usam da fé para almejar poder e influências, que no mínimo devem ser criticados sabiamente. Enquanto sataniza esse poeta, no conforto de seu lar, suprido de bens que garantam seu sossego, veja mais do "pedras nas mãos" dos pobres, dos favelados e indigentes, que você torce para desaparecer, de alguma forma, de suas vistas. Ou será que eu estou errado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário