10 de nov de 2014

Aldeir Torres - Flamengo.

Como jogar uma vitória fora


O Flamengo vencia por 2 a 0 e quase metade da torcida do Sport já estava do lado de fora da Arena Pernambuco quando Danilo ajeitou a bola com carinho e fez uma cobrança de falta perfeita, no canto esquerdo do goleiro Paulo Victor. Eram 43 minutos do segundo tempo e o time carioca tinha o jogo sob controle até aquele momento. Restavam cinco minutos, considerando-se os três de acréscimo, e o que parecia impossível aconteceu: aos 47, Patric cruzou da direita e Mike, em impedimento, desviou para o gol, empatando o jogo para delírio dos mais persistentes. Foi mais uma ducha fria para o time de Vanderlei Luxemburgo. E o técnico não hesitou em colocar toda a culpa pelo resultado nos jogadores. Sem citar nomes, criticou a soberba de alguns nos minutos finais, acrescentando que esta foi a causa dos gols sofridos. Afirmou ainda que não errara nas substituições diante do Atlético Mineiro. Ou seja: acha que tem participação nas vitórias, mas não nas derrotas ou em empates frustrantes, como o deste domingo.


Não vi soberba no time do Flamengo. Vi uma equipe que controlou bem a partida desde o início, marcando com eficiência e explorando os erros da defesa adversária. Marcou seu primeiro gol aos oito minutos, com Márcio Araújo aproveitando uma indecisão entre Magrão e Durval, ampliou a vantagem aos 24, com Nixon aproveitando um cruzamento de João Paulo e passou a tocar a bola, temendo que o desgaste da partida do Mineirão, no meio de semana, cobrasse o seu preço no segundo tempo. O Sport não ameaçava. Nos primeiros 45 minutos, Paulo Victor foi quase mais um espectador na partida. O domínio da equipe carioca era tão claro que, aos 28 minutos, o técnico Eduardo Baptista trocou Wendel por Régis, na tentativa de equilibrar o duelo no meio-campo. Não conseguiu. Mesmo cadenciando mais o jogo, o Flamengo administrou a vantagem até o intervalo. No segundo tempo, o Sport voltou com Mike no lugar de Ibson e passou a jogar mais no campo do adversário. Paulo Victor começou a aparecer mais no jogo, embora sem fazer grandes defesas. O time da casa continuava tropeçando em suas próprias deficiências e não dava o menor indício de que podia mudar a situação.


Até que, aos 43 minutos, Samir cometeu falta em Mike na frente da área e a história do jogo mudou em cinco minutos. Para o Flamengo, fica a frustração de deixar uma vitória certa escapar por entre os dedos. E a certeza de que estes dois pontos não farão muita falta na última rodada. O time carioca chegou a 44 pontos e está praticamente livre da luta contra o rebaixamento. Tem dez pontos a mais do que o Vitória, neste momento o primeiro dos quatro que seriam rebaixados. A cinco rodadas do fim, com 15 pontos ainda em jogo, o time baiano precisaria fazer dez pontos a mais do que o carioca. E não é só isso, o Flamengo ainda teria que ser superado por Goiás, Sport, Figueirense, Palmeiras, Coritiba e Chapecoense. Uma combinação praticamente impossível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário