15 de mai de 2014

Aldeir Tôrres - Abrindo o jogo.

Onde errou a direção do Flamengo?


A substituição do técnico de um time não deveria ser comum, mas é. Contrato é para ser cumprido. Ou rompido, dizem os pragmáticos. Mas um técnico precisa ser contratado com base num estudo criterioso e, portanto deve ter tempo para mostrar essa capacidade. O ciclo deveria ser de um ano (no mínimo) a dois anos (no máximo).

A diretoria do Flamengo não deu o tempo certo a Jayme de Almeida, mas tem todo o direito de demiti-lo. Só não poderia ter feito como fez, de maneira estabanada e colocando em cheque a seriedade com que diz trabalhar. Jayme tem todo o direito também de se sentir traído, pois foi o último a saber.


Encontrei o Presidente Bandeira de Melo na homenagem que o Rotary do Rio fez a Zico (bela homenagem!) nesta quarta e ele admite o erro. A ideia – tentou explicar – era chamar o Jayme para uma conversa antes de comunicar sua saída. Mas notícia é feito queijo suíço, cheia de buracos e sempre vaza por um deles. Depois do mal feito só restou pedir desculpas a um profissional que foi correto a vida inteira.


Ney Franco é competente, experiente, mas chega já carregando esse peso: de entrar no lugar de alguém que tinha uma história no clube. Foi mais fácil para a direitoria do Flamengo demitir o técnico do que reforçar o elenco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário