8 de mai de 2014

Aldeir Tôrres - Abrindo o jogo.

Entre pontos técnicos e família, o perfil da Seleção.


Luís Felipe Scolari apostou na confiança. Parte pelo o que foi feito na Copa das Confederações, parte pelo que foi feito em clube – como no caso de Henrique. O Brasil não tem hoje um grande número de jogadores que poderiam ser convocados e que geraram clamor para que estivessem na lista. Ainda assim, a forma técnica de alguns foi ignorada.

O perfil dos convocados mostra o time titular da Copa das Confederações. Incluindo Júlio César e Luiz Gustavo, em Toronto e Wolfsburg. Bernard, reserva do Shakhtar. William e Fernandinho ganham espaço pela temporada que fizeram. Maicon, muito provavelmente, pelor já ter jogado uma Copa do Mundo, pois a temporada na Roma começou bem e terminou mal. Diego Alves talvez seja o melhor goleiro do campeonato espanhol, mas o titular será o goleiro que fez sete jogos pelo Toronto.


Por outro lado, a temporada dos três melhores brasileiros na Europa foi ignorada: Miranda, Philippe Coutinho e Diego Costa ficaram fora. O atacante que escolheu a Espanha, o fez depois de ser ignorado em detrimento de Fred, Leandro Damião, Jô e Pato. Se sentiu a quinta opção no Brasil – e a impressão que dá é a de que só foi convocado em outubro de 2013 para ficar em situação inconfortável precisando dizer não publicamente e se expôr.

Scolari mostra alternar entre a fase atual e a confiança que sente. Confia em Henrique, por mais que Miranda faça uma temporada no mesmo nível, ou ainda melhor que Thiago Silva. Seguramente jogou mais que Dante e David Luiz. Incomparavelmente melhor que Henrique.

Bernard fez 24 jogos pelo Shakhtar, 13 saindo do banco. Marcou apenas três gols. Philipe Coutinho jogou mais e melhor, mas não foi testado. Lucas, do PSG, jogou 43 jogos na temporada, é o terceiro colocado em assistências na Liga Francesa e marcou três gols. Lucas perdeu espaço na Copa das Confederações e nos amistosos seguintes. A “alegria nas pernas” de Bernard o garantiu na Copa, mesmo em um ano difícil de adaptação na Ucrânia.


Não se pode dizer que é uma lista ruim. Henrique pode jogar como lateral direito; Luiz Gustavo como lateral esquerdo; Hernanes de volante e meia; Ramires de Meia e volante; Neymar de ponta e de falso 9. Temos alternativas. Mas também não é uma lista que leva em consideração apenas quem são os melhores jogadores em atividade. Os mais prontos para disputar um torneio de sete jogos e que qualquer falha pode ser fatal. A lista tem pontos bastante técnicos, mas também tem um quê de família. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário