31 de mar de 2014

Aldeir Tôrres - Abrindo o jogo.

Vasco na final, com merecimento.


Venceu o Vasco, o time que mais procurou o gol nos dois jogos da semifinal do Cariocão. No primeiro jogo empate de 1 a 1, no segundo vitória de 1 a 0. O Fluminense acabou castigado por jogar apenas defendendo a vantagem de dois empates.

Adílson começou com Diego Renan na lateral esquerda e ganhou ainda mais força ofensiva. Renato preferiu começar com uma formação conservadora, com Rafinha substituindo Jean. No primeiro tempo o Flu usou sua principal arma, a bola parada com cruzamento na área e chegou a fazer um gol, mas Fred estava impedido. O Vasco teve 68% de posse de bola nesta etapa e fez o gol com a arma adversária: Douglas bateu falta, Gum vacilou, Rodrigo tocou para Edmílson que cabeceou para o gol, já quase na linha fatal: 1 a 0.


Em desvantagem Renato passou a colocar atacantes. Primeiro Wagner, depois Sóbis e por fim Biro-Biro. De tanto jogar defensivamente, o Flu parece não saber mais como jogar quando precisa ser ofensivo. Esbarrou na aplicação tática do Vasco e no nervosismo do time que precisava de um gol para chegar à final.

A entrega de alguns jogadores como Éverton Costa, Guiñazu e Pedro Ken é contagiante e o Vasco todo foi solidário em campo. Edmilson comemorou o gol fazendo questão de ressaltar a participação de Rodrigo. E diz que a vitória é de todos. De fato é, não se ganha apenas com brilho individual. E o Vasco cresce pelo aspecto coletivo que melhora a cada jogo.


Agora vamos para as duas partidas finais do Cariocão 2014. Flamengo e Vasco não disputam uma final desde 2004 e o Vasco não conquista o Estadual desde 2003. Final de prognóstico imprevisível, mas com levíssimo favoritismo do Flamengo pela vantagem de jogar por dois empates.

Nenhum comentário:

Postar um comentário