17 de dez de 2013

Aldeir Tôrres - Flu fica na Série A, mas cabe recurso.

Fluminense escapa da degola na 39ª rodada.


O Fluminense conseguiu escapar do rebaixamento, mesmo depois do campeonato terminado. Na verdade, a portuguesa cometeu uma barbeiragem brutal ao escalar Héverton, jogador suspenso, e no julgamento desta segunda-feira, levou de 5 a 0 no STJD, que puniu o time paulista com a perda dos quatro (04) pontos e cumpriu o regulamento do campeonato.

Várias manobras existiram, mas nada que viesse a superar a aletra fria da lei, como deve ser para todos. Se todos querem ordem, decência, transparência e essas coisas todas que o povo reivindica com razão, não se pode passar a mão na cabeça do time tal ou qual é pequeno e os torcedores dos grandes foram solidários, menos o que pode proveito.

Não esse o raciocínio de quem julga. Pouco importa e doa a quem doer, a lei é que deve valer. Se um dia houve uma trapaça, apadrinhamento ou proteção a alguém, seja lá quem tenha sido, isso não pode legitimar o “colo amigo”  em benefício de um time de pouca torcida ou de grande torcida.

Justiça é aquela que agrada o time de coração? Justiça só é justa se for para ferrar o rival? Não, amigos, isso clubismo, coisa de torcedor apaixonada e não um procedimento isenta.

Dois auditores foram afastados por terem dito que a Portuguesa não tinha como consertar seu erro. Votaram antecipadamente pelo Fluminense, foi a alegação. Como o Flu era interessado no caso, tudo bem em afastar mesmo. Entretanto, e ainda assim, foi 5 a 0 contra a Lusa infratora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário