27 de nov de 2013

Aldeir Tôrres - Em números, a melhora de Ganso.

Mais participativo que vários meias do Brasileiro.


Paulo Henrique Ganso quase fez um golaço no domingo, faz um bom segundo semestre e volta a ficar em evidência. Pelo potencial que possui e pelo que já mostrou não só em 2010, mas também na Libertadores de 2011, é natural que isso aconteça. Ganso é diferente. Bom passe e visão de jogo.

Isso enche os nossos olhos, carentes de ver algo parecido por aqui. Isso não credencia Paulo Henrique a ser um fora de série fora do Brasil, onde o futebol não é assim tão carente de quem passe bem a bola e nem faça questão de um 10 clássico, visto que várias equipes abrem mão de um pensador nato para ter mais intensidade.

Ganso ainda não é, e talvez nunca seja, aquele jogador que gerava a dúvida se era melhor que Neymar. Mas também não é o meia apático que não se movimenta e não toca na bola como chegou a acontecer no início de 2013. Como já escrevi aqui no blog, Ganso não tem o direito de ser lento. Fosse um absurdo tecnicamente e sempre que a bola passasse por seus pés algo ocorresse, teria o direito de que os outros corressem para ele.

Não é esse absurdo todo e mostra no Camp
Entre os principais meias, dos principais times, os números de Paulo Henrique estão longe de ser exceção. Não é um intocável que só joga com a bola eonato Brasileiro postura diferente.
 nos pés enquanto os outros meias brasileiros correm.

Comparei Ganso com D’Alessandro, Alex (inter), Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Diego Souza, Cícero, Montillo, Seedorf, Ronaldinho, Diego Tardelli, Carlos Eduardo, Wagner, Deco, Juninho Pernambucano, Hugo, Zé Roberto, Elano, Alex (Coritiba), Danilo, Douglas, Renato Augusto e Jadson. No total, 23 armadores analisados.

Alguns são jogadores de lado de campo, outros meias com características mais parecidas. Ganso é o quarto que mais trocou passes. Só D’Alessandro, Cícero e Seedorf o superaram. Na média foi o segundo que mais desarmou, atrás só de Zé Roberto. Foi o terceiro que mais sofreu faltas e também o terceiro que mais cometeu. Um jogador que só joga com a bola no pé não desarma tanto e nem passa tanto a bola.

Contra Ganso o fato de finalizar pouco, melhor apenas do que quatro analisados. Paulo Henrique só marcou um gol no Brasileiro (contra o Náutico…). Em assistências para gol, o meia fica em 7º lugar. Éverton Ribeiro, Seedorf, D’Alessandro, Montillo, Baier e Juninho estão a frente do são-paulino.
Por incrível que possa parecer, Ganso foi mais participativo e menos decisivo. Seus bons passes e visão de jogo renderam poucos gols a seu time – talvez até por culpa da baixa qualidade com quem atua de seu lado. Mas não se pode dizer que Paulo Henrique ficou esperando a bola chegar no seu pé e seus colegas tiveram que correr por ele.
Existe um abismo entre a expectativa e a prática. Em 2010 a questão era quem era melhor: Neymar ou Ganso. Um se preparara para ser protagonista no Barcelona e outro tenta se firmar em um grande clube no Brasil. Ganso ficou três anos para trás e precisa correr, literalmente, para recuperar o tempo perdido. Sua maior participação nos jogos do São Paulo e requintes de genialidade mostram que é possível.
Ganso não é tudo aquilo que se esperava. Mas também não é desprezível. E parece estar se esforçando para melhorar. Vale uma chance. Na seleção? Em um time de ponta na europeu? Nem tanto. Uma chance de ser olhado com justiça, sem rótulos e preconceitos.
Abaixo, os números de Ganso em comparativo com os outros jogadores, segundo o Footstats:

Passes ................... (média):

1º D’Alessandro:.................... 51,5
2º Cícero:..................... 44,9
3º Cícero:.................... 42,3
4º Ganso:....................... 41,9

Desarmes (média):

1º Zé Roberto:........... 2,9
2º Ganso:................... 2,6
3º: Danilo:.................. 2,2

Assistências para gols (números absolutos):

1º Éverton Ribeiro:............. 11
2º Seedorf e D’Alessandro:........ 9
4º: Montillo:..................... 8
5º: Paulo Baier e Juninho:............ 6
7º: Ganso:........................ 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário