12 de nov de 2013

Aldeir Tôrres - Copa do Mundo de 2014.

Passagens para cidades-sedes da Copa de 2014 custam até cinco vezes mais em dia de jogo.


Após mais de seis décadas, o Brasil vai sediar a Copa do Mundo de 2014. Estimativas do Ministério do Turismo apontam que o País receberá cerca de 600 mil turistas estrangeiros e que três milhões de brasileiros devem viajar dentro do País durante os 30 dias da competição — de 12 de junho a 13 de julho do ano que vem. Com mais pessoas querendo viajar com uma malha aérea que não acompanha essa demanda, os preços das passagens aéreas sobem.

Um levantamento feito para duas cidades que sediarão jogos do Brasil durante a Copa, São Paulo e Fortaleza, mostra a disparidade de preços por trecho de viagem. Para a partida do Brasil em São Paulo, no dia 12 de junho, o menor preço encontrado da ponte aérea Rio-SP da companhia aérea Gol é de R$ 303,47 (com taxas) para quem chegar no dia — uma quinta-feira — em horário antes da partida. O custo é três vezes maior do que se a mesma viagem também fosse realizada em uma quinta-feira, mas em março; a menor tarifa seria de R$ 87,47 (com taxas).

Para outro jogo do Brasil ainda na primeira fase marcada para 17 de junho, em Fortaleza, a diferença de valores também é grande. Quem for de São Paulo para Fortaleza desembolsará R$ 1.526,55 (com taxas) para chegar no dia — uma terça-feira — em horário antes da partida. A mesma rota também em uma terça-feira, mas em março, custa R$ 282,55. O aumento nesse caso chega a 440,27%.

Todas as comparações acima foram feitas para compras no início de novembro a partir dos preços das passagens disponíveis nos sites das próprias companhias aéreas. Neste momento de “alta nos preços”, é necessário que o consumidor tenha cautela e espere pelo menos a realização do sorteio dos ingressos e das chaves, que acontecem nos dias 10 de novembro e 6 de dezembro, respectivamente.

Segundo a Abear (Associação Brasileira das Agências de Viagens), o consumidor terá uma oferta maior de rotas adequadas a essa demanda no início de 2014. Por isso, passagens aéreas para cidades-sedes da Copa poderão ficar mais em conta em janeiro.

Isso porque, de acordo com o órgão, será possível projetar uma malha aérea mais efetiva para o campeonato. Essa questão já está em discussão entre a Secretaria de Aviação Civil, Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) e as próprias companhias aéreas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário