11 de nov de 2013

Aldeir Tôrres - Abrindo o jogo.

Vasco respira.


Sufocado por habitar a zona de rebaixamento há várias rodadas o Vasco arrancou um empate com o Santos e respirou na classificação, ajudado pela derrota do Fluminense.

O Vasco enfrentou uma sucessão de infortúnios. Logo aos 7 minutos Juninho saiu machucado – lesão grave, que pode até encerrar a carreira deste craque – e aos 22 Reginaldo também saiu lesionado. Enquanto fazia a substituição o Vasco levou o primeiro gol, tonteando o time, que levou o 2×0 quatro minutos depois.

Poderia ter sido um nocaute, não fosse o gol de Edmilson aos 29 minutos. No intervalo Adílson arrumou o time, adiantou a marcação e passou a explorar as jogadas com Fágner pela direita. André se movimentou mais e se entendeu com Edmilson. Recebeu um passe preciso e marcou de virada o gol de empate.

O Vasco até poderia ter consolidado a reação com o gol da vitória, mas o chute de Pedro Ken parou na trave. Antes Marlone quase fez um golaço, salvo por Aranha, mas Alessandro também impediu um gol quase feito de Montillo.

O empate foi justo e ficou a impressão de que o Vasco pode garantir a permanência na primeira divisão se jogar com esse empenho as cinco partidas finais. Os ”reforços” de Bernardo, André e Guiñazu darão maior experiência ao time nos jogos decisivos.

Quanto a Juninho fica a tristeza por ver terminar de maneira sofrida sua gloriosa carreira. Ele próprio não acredita que terá força para recomeçar depois de lesão tão grave.

Nenhum comentário:

Postar um comentário