9 de ago de 2013

Aldeir Tôrres

A única opção
A novela Montoya não se acaba, as CNDs não saem, a dupla titular de volantes ficará pra mais de mês fora de combate, os reservas para os vários desfalques não empolgam (assim como muitos dos titulares) e o que seria uma reação do time foi bruscamente freada pelos últimos resultados.

Diante desses fatos recentes no dia a dia vascaíno, a única opção aceitável para o confronto de hoje contra a Ponte Preta é uma vitória. Somente três pontos podem dar um novo ânimo para a torcida e fazer o time retomar seu caminho em direção a posições melhores na tabela.

Mas o jogo de hoje é traiçoeiro. Como visitante, a Ponte já aprontou das suas duas vezes. E como a Macaca deve estar se coçando para fugir da zona de rebaixamento, o Vasco não pode dar o mole de se deixar surpreender. Eles provavelmente vão ficar na espreita, esperando ver como vamos nos comportar, para saber se ficam na retranca ou se jogam de igual pra igual.

E as alterações que o Dorival foi obrigado a fazer na equipe – graças às suspensões e contusões – devem mudar a forma do time jogar, principalmente na parte defensiva. Com Abuda e Fillipe Soutto substituindo Guiñazu e Sandro Silva, teremos uma dupla de volantes mais leve, o que deve aumentar a velocidade na saída de bola, mas com um poder de combate menor. Preocupante também é a juventude dos volantes, laterais e zagueiros do time hoje: com Jomar no lugar de Renato Legalize, a média de idade dos seis defensores vascaínos cai para 20 anos.

Com isso Juninho passa a ter outra função além de ser o cérebro da equipe: ele precisará passar tranquilidade para os jogadores mais jovens, principalmente se a Ponte ameaçar pressionar em algum momento do jogo. A torcida também tem sua parcela de responsabilidade, e se não for possível apoiar o time durante os 90 minutos, que pelo menos segurem as vaias o máximo que puderem.

Mas no fim das contas, quem tem a maior responsabilidade hoje é todo o time. Enquanto a bola rola, é preciso ignorar os problemas e partir pra cima da Ponte com tudo, buscando a vitória do apito inicial ao final. Jogar com raça, atenção e, se for possível, com precisão até conseguirmos marcar gols. Não há outra opção para o Vasco nessa quinta-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário