11 de jun de 2013

Aldeir Tôrres

Copa escolar - Garoto bom de bola 
A torcida compareceu na primeira copa escolar garoto bom de bola com sede em Currais Novos, promovido pela Secretaria do Esporte e do lazer, em parceria com o Fórum Estadual dos Secretários e gestores Municipais do Esporte e do lazer do Rio Grande do Norte, unindo Estados e Municípios, e outros parceiros patrocinadores potências que poderão contribuir com o mesmo. Mas é bom o Secretário de Esporte Paulo Dias 
(Paulosca) tomar providências cabíveis em relação a muita coisa que anda acontecendo dentro da competição e que está desagradando muitas cidades de uma forma geral. Até porque, quem ficam com a maior despesa são as prefeituras de cada cidade, principalmente aquelas que vão se classificando, ou estão classificadas para a semifinal do evento.
Já que pelo pouco que percebi, a SEEL está pagando somente a arbitragem da competição e organizando escola para os clubes vizinhos permanecer durante a competição, em determinada cidade. E por falar em arbitragem, Paulosca e Fernando Lima, amigos por gentileza, permaneçam durante a competição ou mande algum representante amigo, porque com a presença de ambos é uma arbitragem e sem um representante da entidade, é outra arbitragem decididas pelos árbitros decidindo quem passa a cada fase da copinha.
Isso é um absurdo, crianças procurando espaço na mídia, escrita ou falado, ter que aturar árbitros totalmente despreparados e sem nenhuma qualificação para estar atuando nesta copa escolar - garoto bom de bola, que digo de passagem é super importante para promover os alunos dentro e fora de campo para um futuro bem melhor. Agora iniciar cada etapa do evento com certo tipo de arbitragem amigos leitores é difícil de aturar, para não ter que usar outro tipo de expressão se não amigo tiram com certeza nosso blog spot do ar. É claro que toda regra a exceção, mas com certeza neste momento essa é a mais cabível para esse momento.
E outra Secretário de Esporte Paulosca, ouvi sua entrevista e está no meu face. Sua atitude de abrir o curso preparatório para os árbitros será muito bem-vinda e fica tudo bonitinho perante a imprensa, mas na minha modesta opinião o que precisa ser elaborado, fora esses cursos de árbitros, o que eles precisam mesmo, primeiro é aprender regras de futebol, interpretação e como saber usar o bom senso em alguns lanches, não é isso mesmo? E segundo saber respeitar os atletas e as cidades que estão atuando dentro do evento, até porque, são eles que fazem toda palhaçada na competição, e na hora que a SEEL vão convidar as prefeituras, é realmente quem sofre com toda essa bagunça, pode ficar alguma sequela pelo que ocorreu perante todo o evento, e na hora se recusar a participar do evento no próximo ano. 
E francamente gostaria muito Paulosca e Fernando Lima, que são pessoas honestas e passivas do cargo que ambos exercem, que atitudes como estás que vem acontecendo ao longo de toda competição, chegassem até vocês de forma transparente e honesta, relatada exatamente como ocorreu, mas pelo que vi, isso praticamente é impossível de acontecer. 

3 comentários:

  1. Verdade aldeir é uma palhaçada só. o circo está armado e já tem os classificados, em cada fase da competição. Isso é uma vergonha para o esporte e com esses supradores de apitos as crianças vão aprender e ser outra coisas que eles ensinaram aí kkkkk. Paulo Dias arruma esta casa que tá uma bagunça tá - Gustavo Natal e eu estava lá.

    ResponderExcluir
  2. Como as crianças vão aprender ser pessoas do bem com esses abuso de autoridades usadas pelos árbitros, eu disse árbitros kkkkkkkkk esses palhaços aí que favoreceu nosso time aqui de Currais Novos, Vergonha Nacional, Acordam gente a competição é dicidida fora de campo antes de vcs chegarem kkkkkkkkkk, valeu o esforço aldeir vc é bom reporter e entende do assunto, mais eles que manda né não. Pedro Currais Novos.

    ResponderExcluir
  3. É uma vergonha e inaceitável que coisas desse tipo aconteçam numa competição com tamanha importância. Onde é abrangida a inclusão, através do esporte e principalmente por se tratar de uma competição educativa, que ajuda e muito na formação social dos atletas que dela participam. Além de abrir portas para os "pequenos" sonhadores que um dia se vêem como um jogador de futebol profissional, e dependendo do talento de cada um, esse sonho poderá se tornar realidade através desse campeonato que é a nível estadual e vai ainda mais além.

    Sem contar no fato das prefeituras terem algumas dificuldades de apoiar as escolas para participarem e, atitudes como essas sitadas no texto de Aldeir Torres, podem induzir as mesmas a não inscreverem suas cidades numa próxima edição da copinha.

    ResponderExcluir