28 de mai de 2013

Juan Cuenca

Ex-dirigente é apontado como mandante do assassinato de jogadora
A polícia espanhola já deu os primeiros passos na investigação da morte da jogadora Ingrid Visser e de seu namorado na região rural de Alquerías, próximo à cidade de Murcia. De acordo com o jornal ''As'', Juan Cuenca, ex-diretor do CAV Murcia, onde Ingrid atuou entre os anos de 2009 e 2011, está entre os detidos. A hipótese levantada pelas autoridades é de que o crime aconteceu por conta de desavenças em relação aos negócios, envolvendo questões financeiras. Além do ex-dirigente, dois homens romenos também estão sob custódia pelo crime.

Segundo o chefe de polícia de Murcia, Cyril Duran, os presos e as vítimas se encontraram voluntariamente em um apartamento. Ele afirma que todos estavam reunidos entre os dias 13 e 14 de maio. A imprensa espanhola afirma que o casal chegou a ser torturado antes da morte.

Ingrid Visser e seu namorado foram vistos pela última vez na tarde do último dia 13, saindo de um hotel em Murcia, onde tinham reservado uma estadia de duas noites para fazer uma consulta na manhã seguinte. O aviso sobre o desaparecimento do casal foi feito pela família no dia 15 de maio.

A jogadora, que atuou em times importantes como o CAV Murcia, era conhecida em seu país. A holandesa também chegou a atuar no Brasil, pelo Minas, na temporada 1997/98.x-dirigente é apontado como mandante do assassinato de jogadora

Nenhum comentário:

Postar um comentário