3 de mai de 2013

Aldeir Tôrres

São Paulo perde sua chance e precisa vencer um Atlético temível

Era o jogo do São Paulo. Não só por ter marcado aos 8 minutos de jogo e ter criado mais quatro boas chances que Ademilson perdeu (nos 26 minutos que esteve em campo, entre a lesão de Aloísio e a expulsão de Lúcio). Era o jogo do São Paulo porque o Atlético é muito forte em casa. É imbatível no Independência. A ideia precisava ser fazer um resultado confortável e leva-lo para BH.

Ia tudo muito bem para o time paulista, tirando os gols perdidos, até Lúcio ser expulso. Uma falta desclassificante e desnecessária no meio do campo. Aí tudo mudou.

Seis minutos depois de ficar com um a mais, o Atlético empatou. O máximo que o alvinegro havia conseguido até o momento era respirar e esfriar a pressão são-paulina. O segundo tempo teve dono. O Atlético jogou e o São Paulo correu atrás.

Vitória por 2 a 1 e que poderia ser maior se Tardelli e Bernard estivessem em plenas condições para correr até o final do jogo. Com Luan e Rosinei o contra-ataque só saiu uma vez. De bom para o são-paulino só a ótima atuação de Ganso – o melhor do time ao lado de Jadson.

É possível que o São Paulo se recupere em Belo Horizonte. Que vença por 2 a 1 e leve para os pênaltis ou consiga encaixar três gols. Possível, mas improvável. Os números do Atlético em casa são mais que respeitáveis, são temíveis.

Foram 45 jogos com 37 vitórias e oito empates. Desde 2011 não perde como mandante. Nenhuma vez sofreu três gols. Nos 32 jogos que tem no Independência (dois como visitante, contra América e Cruzeiro) sofreu dois gols apenas em oito oportunidades.

Era o jogo do São Paulo. Ademilson, Lúcio e a força de reação do Atlético não deixaram. Semana que vem é o jogo do Atlético, muito favorito à classificação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário