10 de mar de 2013

Julgado

Condenado, Bruno trocou chance de disputar Copa de 2014 por prisão

Bruno tinha tudo para uma carreira brilhante no futebol. Campeão brasileiro, chegou a ser especulado em times no exterior e até na seleção. Mas a morte de Eliza Samúdio, arquitetada por ele, pôs fim ao futuro do ex-goleiro nos gramados.

O goleiro surgiu como grande promessa no Atlético Mineiro aos 21 anos, em 2005  e foi se firmando na posição de titular. Chegou a ser considerado o segundo melhor do Brasil na época em sua posição.

Em agosto de 2006 acertou sua transferência para o Corinthians, mas só foi apresentado e não jogou.

Atrás de espaço foi para o Flamengo, ainda em 2006, onde começava uma grande trajetória com a camisa rubro-negra.

A cada dia mais seguro com a camisa 1, Bruno chegou a fazer gols de falta e consolidava uma grande fase no Mengão.

Tal fase coincidiu com a chegada de Adriano no Fla. Juntos com Petkovic, Leonardo Moura e companhia, Adriano e Bruno levantaram o título de Campeão Brasileiro em 2009.

Nesse momento começaram a surgir o interesse de grandes clubes atrás das grandes defesas do goleiro, como o Milan, e Bruno quase deixou a Gávea.

Em 2010, durante a Copa do Mundo da África, Bruno, que já sondava um lugar na seleção brasileira que seria reformulada a partir dali, foi acusado de assassinato e prisão de Eliza Samúdio. O crime foi motivado pela negação de paternidade de Bruno e porque o goleiro não aceitava pagar pensão.

O infernal astral começava: Bruno teve de esperar o julgamento do processo na cadeia e via cada vez mais distante a chance de voltar a jogar futebol e vestir a camisa da seleção brasileira.

No dia 8 de março, Bruno foi julgado e condenado a mais de 22 anos de prisão e pode ter jogado fora a chance de ser um goleiro inesquecível para os brasileiros, não com casos de polícia, mas com belas defesas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário