21 de mar de 2013

Diretor técnico

Ricardo Gomes avisa a Dinamite que está fora da direção técnica do Vasco

Menos de 24 horas depois da demissão de Gaúcho, Ricardo Gomes também está fora do Vasco. No cargo de diretor técnico desde novembro, ele não gostou da postura da diretoria após a derrota por 2 a 0 para o Nova Iguaçu, nessa quarta-feira, em Volta Redonda. Os rumos do clube, que sofre financeiramente há oito meses, também já o vinham incomodando. Ele comunicou sua decisão ao presidente Roberto Dinamite, selando o fim da parceria, que, ao todo, somava dois anos.

Assim, está totalmente desfeita a estrutura montada para que Gomes retornasse a São Januário. A partir do início de 2012, quando se recuperou do AVC sofrido em agosto de 2011, o ex-zagueiro acompanhava o andamento do futebol cruz-maltimo de perto, já que seu antigo auxiliar, Cristóvão Borges, foi efetivado no comando. Aos poucos, demonstrou seu desejo de voltar a uma função oficial, mas não tinha condições de dar treinos no campo. A decisão de reintegrá-lo aconteceu quando Marcelo Oliveira pediu demissão, em outubro.

A comissão técnica deve se desfazer. O preparador físico Luiz Otávio, indicado pelo ex-diretor técnico, tem tudo para sair. O Vasco procura um substituto para o cargo de treinador e tentará anunciá-lo nos próximos dias, antes da partida contra o Olaria, quarta-feira que vem, em Moça Bonita. O preferido é Paulo Autuori, que chegou da Europa nesta quinta-feira e já tomou conhecimento de que em breve será contactado pela diretoria cruz-maltina.

No discurso, todas as partes garantiram que as tarefas do novo organograma estavam bem definidas e que não haveria conflitos. O diretor executivo René Simões recebia de Ricardo Gomes as indicações para reforços e os buscava no mercado. No dia a dia, o diretor técnico nunca dirigiu um treinamento. Ele se limitava a observar algumas atividades e conversava internamente com Gaúcho, que comandava a equipe no gramado. Os dois eram responsáveis por discutir jogadores a serem escalados e as possíveis formações da equipe.

Desde o momento em que René Simões avisou a Gaúcho da demissão, ainda no vestiário do Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, Ricardo Gomes mostrou-se solidário ao treinador. Eles voltaram ao Rio de Janeiro lado a lado, e o diretor técnico aparentou abatimento. Ricardo tentou entrar em contato com Roberto Dinamite na manhã desta quinta-feira, mas não conseguiu. O presidente retornou a ligação pouco depois, e ambos combinaram um encontro para que ele anunciasse sua decisão.

- Não quero falar sobre isso. No momento certo as coisas serão esclarecidas. Fiz o possível, mas as coisas são complicadas no futebol. Marquei com o Roberto uma conversa amanhã (sexta-feira), porque se trata de uma amizade de anos. É uma situação diferente de outros casos de treinador, então vamos esclarecer tudo. Mas não quero falar sobre qualquer problema - minimizou Gaúcho.

No entanto, pessoas próximas ainda tentam demover Ricardo Gomes da ideia. Ao mesmo tempo, a diretoria sabe que a saída do diretor técnico, somada à de Gaúcho, abriria um espaço considerável no orçamento do futebol para que fosse contratado um treinador de bagagem, que teria a missão de tirar a nau vascaína das tormentas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário