10 de mar de 2013

Campeonato paulista

Com emoção em um tempo só, São Paulo e Palmeiras ficam no zero

Não foi exatamente como na final da Copa Sul-Americana, mas podemos dizer que o clássico entre São Paulo e Palmeiras também teve só 45 minutos. Os do segundo tempo. Após uma metade de jogo enfadonha, sonolenta, até covarde por parte das equipes - o público sentiu alívio pelo apito do árbitro -, houve emoção na etapa final no Morumbi. Muito mais por vontade, disposição e indisciplina tática do que por grande qualidade. Talvez por isso, mesmo com emoção, o Choque-Rei tenha terminado sem gols.

Ney Franco ficou no meio do caminho entre dar importância ao clássico e priorizar a Libertadores. Tanto que deixou seus melhores jogadores, Jadson e Osvaldo, no banco, mas os colocou no início do segundo tempo. Também escalou Wellington e Luis Fabiano, que não poderão atuar contra o Arsenal. E deu tempo de jogo a Jadson, Osvaldo e Aloísio, que formarão o ataque na Argentina. O resultado não poderia ser dos melhores. Um time irregular e até dominado logo após a expulsão de Lúcio, que tentou dar cotovelada em Valdivia. Clique aqui e veja as notas dos jogadores do São Paulo.

Gilson Kleina entrou com uma formação mais cautelosa do que de costume, com Charles no lugar de Wesley. Foram poucos minutos de ousadia até se encolher completamente no primeiro tempo. Tudo mudou no intervalo. Com mais gente no ataque e Valdivia com a batuta, distribuindo os lances, o Verdão ficou muito mais perto do gol. Clique aqui e veja as notas dos jogadores do Palmeiras.

Durante a última semana, o São Paulo havia sido vaiado pela torcida. Já com o Palmeiras foi pior, houve até tentativa de agressão no aeroporto. Com isso, já era de se esperar um público bem aquém do que a história do clássico merece, mas de acordo com o que os times apresentaram: 18.020 pessoas pagaram ingresso no Morumbi.

Os dois voltarão a campo na quinta-feira. O Tricolor precisa vencer o Arsenal na Argentina para melhorar sua situação na Libertadores. Já o Verdão recebe o Paulista, no Pacaembu, e também necessita do triunfo para subir na tabela do estadual e tentar se firmar na zona dos oito que se classificam para as quartas de final.

O São Paulo se manteve na liderança do Paulistão, com 23 pontos e ainda um jogo a menos do que os concorrentes. O Palmeiras é o sétimo, com 17. E o tabu tricolor, que não perde para o rival no Morumbi desde 2002, permanece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário