13 de mar de 2013

Após críticas

atacante Danielzinho liga para pedir desculpas a Ferrugem

A mágoa demonstrada por Ferrugem fez Danielzinho entrar em contato com o volante da Ponte Preta. Por telefone, na noite de terça-feira, o atacante do São Caetano pediu desculpas pela lesão causada e reforçou que não teve a intenção de machucar ao dar um carrinho por trás durante a vitória da Macaca por 3 a 1 sobre o Azulão, no último domingo.

- Eu precisava dizer ao Ferrugem que nunca quis causar isso. E também tinha de explicar que eu não falei nada na internet, já que não tenho Facebook nem Twitter – resumiu Danielzinho, que chegou a marcar uma visita no hospital para a manhã desta quarta-feira, mas Ferrugem recebeu alta antes, o que impediu o encontro entre os dois .

A atitude não foi suficiente para o atacante ganhar o perdão. O volante da Ponte, que havia reclamado de não ter recebido nenhuma ligação de Danielzinho, ouviu as palavras do adversário, mas não escondeu que a ferida ainda está aberta.

- Falei para ele (Danielzinho) que quem perdoa é Deus. Eu espero que as desculpas dele sejam sinceras, mas eu estou mesmo muito chateado ainda. É um momento difícil para mim. Acredito que ele não teve a intenção de quebrar a minha perna, mas foi imprudente. Não tinha necessidade de entrar daquele jeito.

A entrada de Danielzinho rompeu os ligamentos e deslocou as articulações do tornozelo esquerdo de Ferrugem. Após realizar cirurgia na noite de segunda-feira, o volante foi para a casa, onde iniciará a reabilitação. Com o local imobilizado, os próximos 15 dias serão de repouso absoluto, para que aconteça a regressão do edema.

Segundo o chefe do departamento médico da Macaca, Roberto Nishimura, Ferrugem usará a tala por mais 30 dias e poderá colocar os pés no chão daqui a dois meses. Somente depois disso é que começará a fisioterapia no tornozelo. Até lá, o trabalho ficará restrito a outros membros, principalmente os superiores. O prazo estimado de recuperação da lesão é de seis meses. Só depois que terá início a transição para o campo e os treinos com bola.

O atleta da Macaca espera que o seu drama sirva de exemplo para que jogadas violentas sejam coibidas pelas autoridades competentes. Pelo carrinho em Ferrugem, Danielzinho recebeu apenas o cartão amarelo. A Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) já pediu as imagens para analisar e sinalizou com denúncia contra o atacante do Azulão.

- Eu espero que o que aconteceu comigo seja uma lição, uma motivação para que o carrinho por trás seja banido de uma vez no futebol. Quem vai definir a punição que o Danielzinho merece é o Tribunal – finalizou Ferrugem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário