11 de mar de 2013

Aldeir Tôrres

Ôôô, queremos torcedor! 

O Botafogo ganhou sua sétima Taça Guanabara e fez a festa no seu Engenhão, onde cabem 47 mil pessoas e recebeu pouco menos que 33 mil pagantes.

O Vasco jogava pelo empate e amargou mais uma derrota, por 1 a 0, num gol em que havia um botafoguense impedido, compensando um pênalti não marcado no começo do segundo tempo.

Mas chama atenção, numa linda tarde no Rio, sobrarem 14 mil lugares vazios no estádio.

Pior foi em São Paulo.

No Morumbi cabem 72 mil pessoas, mas apenas 18 mil foram ver o Choque-Rei, o clássico entre São Paulo e Palmeiras que terminou sem gols e com a expulsão do zagueiro Lúcio logo no começo do segundo tempo.

O clássico, aliás, só valeu pelo segundo tempo.

Interessa observar o que tem expulsado o torcedor, porque também na Paulicéia a tarde foi ensolarada.

Para se ter uma ideia, o clássico teve três mil torcedores a menos que os 21 mil que foram ao Pacaembu, no sábado, sob uma tempestade torrencial, para ver um simples Corinthians e Ituano.

A explicação mais aceitável para a ausência do torcedor vai além do desinteresse pelos campeonatos estaduais, público e notório.

O torcedor sensato tem medo dos clássicos e prefere os jogos de uma torcida só.

Em tempo: Na quinta-feira passada foi contado  aqui o episódio de um torcedor amigo do blogueiro que foi maltratado no Pacaembu no jogo do São Paulo pela Libertadores.

Citada que foi, a Volkswagem fez uma nota explicativa e se desculpou pela parte que lhe coube.

O São Paulo FC, no entanto, calado estava e calado permanece até agora.

Deveria ser o principal interessado em tratar bem seu torcedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário