27 de fev de 2013

Roberto de Andrade

Diretor do Timão cobra Conmebol: 'Tem de morrer alguém para punir?'

O clima esquentou entre Corinthians e Confederação Sul-Americana de Futebol na tarde desta terça-feira. Depois de ver a entidade manter a punição preventiva ao clube, que terá de atuar com portões fechados na Libertadores até que o caso da morte do torcedor boliviano em Oruro seja julgado, o diretor de futebol do Timão, Roberto de Andrade, fez duras críticas ao comando da Conmebol.

Apesar de acatar a decisão preliminar da entidade, o dirigente questionou o critério adotado na punição ao clube. Fora de campo, uma torcedora entrou na Justiça com uma ação cautelar contra a confederação sul-americana e tenta liminar para entrar no Pacaembu.
Antes de começar a entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, que contou também com a presença do gerente de futebol Edu Gaspar e do diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves, o dirigente, visivelmente nervoso com o assunto, fez um comunicado aos jornalistas.

– Todos viram no jogo o que aconteceu. O Corinthians foi punido. Não corro disso. O regulamento é muito claro. Se os torcedores entrarem em campo com sinalizadores, pode haver punições. Mas o estádio inteiro tinha sinalizadores. Por que as autoridades locais não tomaram providencias? – questionou o dirigente.

No relato feito pelo dirigente nesta terça-feira, o corintiano falou da estrutura precária encontrada pelo Corinthians na cidade de Oruro, na Bolívia, e mostrou imagens da partida entre Deportivo Lara e Newell's Old Boys, pela Libertadores, em que torcedores utilizaram diversos sinalizadores na arquibancada.

– Tudo isso foi porque foi aceso o sinalizador. A morte foi a consequência. Se nós pegarmos as imagens aqui, todos os jogos que antecederam o nosso e posteriores ao nosso, o estádio todo com sinalizador. Tem que morrer alguém pra punir? – declarou.

– Queremos exigir que a Conmebol cumpra o regulamento. Se está sendo válido para o Corinthians, tem de ser válido para os outros. O estádio do Millonarios, que teve jogo no dia seguinte, consta tudo no mesmo artigo que o Corinthians foi finalizado. Só vai punir se alguém morrer? O regulamento é claro, não fala em morte, fala em acender sinalizadores. Estamos sendo punidos pela consequência. Até quando vamos ver essas coisas acontecerem e ficar quietos? – completou, que também citou as partidas entre Atlético-MG e São Paulo e Fluminense e Grêmio entre os jogos em que torcedores usaram sinalizadores.

A postura oficial do Corinthians agora é de questionar publicamente e cobrar mudanças da Conmebol. O clube considera injusta a punição preventiva dada ao clube por causa da morte do torcedor boliviano no estádio Jesús Bermudez, em Oruro.

– É logico que estamos tristes, mas a medida não precisa esperar morte de ninguém. A Conmebol é responsável pelo evento. O Corinthians era visitante do San José. Graças a Deus que era sinalizador. E se fosse granada? Tinha entrado também – disse Roberto de Andrade nesta terça-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário