26 de fev de 2013

Presidente

Aristeu Tavares é demitido da Comissão de Arbitragem da CBF

Aristeu Leonardo Tavares não é mais o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O dirigente foi demitido nesta terça-feira e será substituído interinamente pelo ex-árbitro Edson Rezende, responsável pela corregedoria da entidade, até que um novo nome seja escolhido pelo presidente da CBF, José Maria Marin.

Tavares perdeu o cargo após ter concedido uma polêmica entrevista ao jornal goiano "O Popular", publicada no último dia 20, na qual teria afirmado que a comissão recebeu diversas denúncias sobre árbitros que estariam envolvidos em manipulação de resultados no Brasil.

Sem citar nomes, ele teria afirmado que os denunciados continuavam apitando, apesar dos casos terem sido informados ao Ministério Público.

 Aristeu Leonardo argumentou que "não há, a princípio, nenhum indício que contraindique o trabalho desse profissional".

Após a repercussão negativa da entrevista junto a muitos árbitros, o chefe da arbitragem negou que tivesse se expressado nos termos publicados pelo jornal goiano. O diário manteve o teor da entrevista.

Coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Tavares chegou ao comando da Comissão de Arbitragem em agosto de 2012, substituindo Sérgio Corrêa. Bandeirinha na Copa de 2006, Aristeu foi nomeado por Marin em abril do ano passado para o cargo de ouvidor da arbitragem, em uma das primeiras medidas do presidente após assumir a CBF depois da renúncia de Ricardo Teixeira.

Quatro meses depois, foi promovido para a chefia da comissão, após o setor ser duramente questionado devido a uma sequência de falhas graves de árbitros. A gota d'água foi o erro triplo do assistente Emerson Augusto de Carvalho, que deixou de apontar três impedimentos consecutivos no lance que resultou no segundo gol do Santos no clássico contra o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro - vitória santista por 2 a 1.

A possibilidade de demissão de Aristeu Tavares foi citada pelo comentarista Arnaldo Cezar Coelho na noite da última segunda-feira, durante o programa "Bem, Amigos!". Árbitro da final da Copa do Mundo de 1982, Arnaldo criticou o presidente da Comissão de Arbitragem pelas declarações, que, em sua opinião, feriam a credibilidade da área.

- Se uma pessoa um pouco mais responsável dá uma entrevista dessa e depois nega a entrevista, eu não sei onde nós estamos em termos de arbitragem. Ainda mais (em uma área) que precisa de credibilidade. 

Essa entrevista não ajuda em nada ao futebol brasileiro. É lamentável que durante uma semana em que os árbitros vão se preparar em Goiás, vão fazer testes de avaliação física, o diretor de árbitros dê esse tipo de entrevista infeliz - afirmou o ex-árbitro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário