26 de fev de 2013

Galinho

Perto dos 60, Zico revela mágoa com Luxa: 'Jogou por terra uma amizade'

Perto de completar 60 anos - o aniversário será no domingo, dia 3 de março -, Zico não para de dar entrevistas no CFZ. Ao receber nossa equipe esportiva na semana passada, revelou suas alegrias e tristezas ao longo da carreira. O 'Entrevistão' com o Galinho vai ao ar na próxima sexta-feira. Além da decepção com Patrícia Amorim, Zico revelou mais uma mágoa em relação à gestão anterior: com o velho amigo e atual treinador do Grêmio, Vanderlei Luxemburgo, de quem é compadre - Zico é padrinho de sua filha mais velha, Valeska.

Tudo começou quando Zico foi perguntado se apoiaria Vanderlei Luxemburgo para a presidência do Flamengo num futuro - um dos sonhos do treinador gremista. O Galinho disse que hoje não o apoiaria e revelou aborrecimento por causa de uma discussão entre os dois pela imprensa em setembro de 2011. Na entrevista o maior camisa 10 do Flamengo contou que chegou a apoiar Patrícia no início do mandato por ser uma ex-atleta do clube. Em seguida, foi questionado se faria o mesmo com Luxemburgo.

- Hoje não.

- Por quê?

- Porque não.

- O fato de ele ter se metido naquele problema seu com a Patrícia, aquilo te aborreceu?

- Aquilo não era problema dele, entrar num assunto nosso. O problema do técnico é cuidar do time, e não se meter no que fulano e beltrano estão falando, estão discutindo...

- A amizade ficou abalada?

- Nunca mais falei com ele. Desde a entrevista dele. E somos compadres. O Vanderlei eu dava carona pra ele, buscava em casa, deixava em casa. Ele jogou por terra uma amizade de, desses sessenta anos, uns quarenta anos.

O aborrecimento de Zico com Vanderlei ocorreu no dia 15 de setembro, coincidentemente na semana do clássico, pelo Campeonato Brasileiro, com o Botafogo, adversário no próximo domingo. O então treinador rubro-negro comentou as declarações de Zico. Em entrevista ao "Extra", o ídolo havia comentado que, por conta do que viveu como dirigente, não via mais os jogos do Flamengo como torcedor, mas como profissional, e não acompanhava mais todas as partidas. Depois, Junior, outro eterno ídolo, hoje comentarista da TV Globo, disse o mesmo. Na coletiva, Vanderlei disparou:

- Eu sou Flamengo, torço pelo Flamengo, e como profissional nunca deixei de falar isso. Acho que as declarações foram num momento inoportuno, depois de uma derrota (2 a 1 para o Atlético-PR). Eles são meus amigos. Mas o Flamengo é uma instituição, está acima de tudo. O problema deles foi de ordem pessoal. Se o Zico teve problema com a Patricia Amorim, com o Michel Levy (vice de finanças), deveria se referir a eles. Não pode generalizar, esse é o meu pensamento. Tenho certeza de que o Zico, a família dele é rubro-negra. O clube está acima de todos. Nesta semana, precisamos da torcida de todos, ainda mais deles, que são ilustres. Uma vez Flamengo, sempre Flamengo – declarou Vanderlei Luxemburgo, na época.

Assim que soube das declarações de Vanderlei, Zico declarou:

- É um direito dele achar isso. E ninguém aqui está acima da instituição. Eu gostaria de ver um dia como ele reagiria se sofresse inquérito da instituição Flamengo... Não é problema pessoal com A ou B. É com um dos poderes mais importantes do clube, o Conselho Fiscal. E não existe hora inoportuna para isso. Fui chamado de ladrão por um dos principais poderes do clube. Não tem nada a ver ser ou não ser a melhor hora, a hora certa, se é depois de derrota, perto de clássico. O problema não é com A ou B, que fique bem claro isso. É bom separar as coisas: jogo de futebol, torcida... Acho, sinceramente, que o Vanderlei não está a par da real situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário