11 de fev de 2013

Edmundo sobre a fase do Vasco

'Se não ganhar, a tendência é piorar'

O ex-atacante do Vasco Edmundo curte o carnaval do Rio de Janeiro na Marquês de Sapucaí, mas não deixa de pensar no clube que o projetou. Ao comentar a atual situação do time da Colina, lembrou que o momento financeiro de todas as equipes é complicado, mas é preciso pensar no futebol e deixar de lado os fatores fora das quatro linhas.

- É um momento financeiro difícil para todos os times. A não ser que tenha um patrocinio como a Unimed (do Fluminense). Tem a questão dos bloqueios de contas, não sabemos a fundo o que está acontecendo. (Os problemas de bastidores) atrapalham, sem dúvida. Mas é a situação do clube. Quem está lá tem que continuar trabalhando. Se o time não ganhar, a tendencia é piorar - alertou.

Para Edmundo, contudo, o Vasco tem uma base. Ele apontou Eder Luis e Carlos Alberto como duas engrenagens que precisam funcionar bem para que o time evolua.

- Na minha opinião, mesmo com tudo isso, há uma espinha dorsal, um time razoável. Se o Eder Luis voltar a jogar o futebol que jogou dois anos atrás, o Carlos Alberto jogar o que sabe... - comentou o ex-vascaíno, que se despediu do clube em março de 2012, num amistoso em São Januário conta o Barcelona de Guayaquil, do Equador.

Edmundo jogou em 12 clubes ao longo de sua carreira. Em 1997, foi campeão brasileiro e artilheiro do campeonato pelo Cruz-maltino, mas se transferiu para a Fiorentina, da Itália, perdendo a chance de se tornar campeão da Libertadores no ano seguinte. Por isso, a despedida relembrou a partida da final de 1998, vencida sobre o mesmo Barcelona de Guayaquil.

Atualmente, o Vasco sofre com as finanças. O time de 2012 já não é mais o mesmo. A equipe foi reformulada para a atual temporada, trazendo alguns reforços, mas ocupa a terceira colocação do grupo A, com dez pontos, atrás de Botafogo e Madureira, no Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário