17 de fev de 2013

Crime

‘Eu matei meu bebê’, disse Pistorius a melhor amigo, segundo jornal inglês

O tablóide The Sun traz na edição deste domingo um relato importante de Justin Divaris, melhor amigo do atleta paralímpico Oscar Pistorius, acusado de matar a namorada Reeva Steenkamp na madrugada da última quinta-feira. Segundo o rapaz, o suspeito ligou para ele logo depois da morte da garota.

- Meu bebê, eu matei meu bebê. Deus, me leva – teria dito Pistorius, aos prantos.

- É tudo muito triste. O Oscar me ligou às 3h55 dizendo que Reeva havia sido baleada. E eu disse: O que você está falando? Eu não entendo. E ele repetiu: “houve um acidente terrível. Eu atirei em Reeva” – contou Divaris ao The Sun.

Um dos vizinhos de Oscar Pistorius, então, pegou o telefone e falou com o melhor amigo do atleta paralímpico, explicando que realmente a modelo estava morta.

- Eu estava em choque e perguntei ao vizinho se ela (Reeva) estava bem e se a arma tinha disparado acidentalmente. A resposta foi que ela não estava bem e que era para eu ir até lá – acrescentou o amigo do astro do atletismo.

Justin e sua namorada, Sam, foram então à casa de Oscar Pistorius. Era noite do Dia dos Namorados. Na hora em que o amigo chegou, o suspeito desabafou.

- Foi traumático. O local já estava como cena de crime e nós não pudemos entrar na casa. Mas pudermos ver através da porta que Reeva estava deitada, coberta por cobertores e toalhas. Pedi para falar com Oscar, que estava detido na garagem. Ele estava incoerente e só dizia: “Matei meu bebê. Deus, me leva” – contou Justin.

A defesa de Oscar Pistorius trabalha com a possibilidade de os tiros que mataram Reeva Steenkamp terem sido acidentais. Neste domingo, o britânico The Telegraph traz uma reportagem em que o pai do atleta paralímpico, Henke Pistorius, afirma que muitas vezes um esportista age por “instinto”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário