18 de fev de 2013

Aldeir Tôrres

Um clássico apaixonante
O tradicional clássico entre Corinthians e Palmeiras acabou superando todas as previsões, tanto quanto à espetacularidade (até o apito final não se sabia se haveria um vencedor) como em relação às variações táticas empregadas pelos dois técnicos ao longo dos noventa minutos.

O começo foi todo alvinegro, com duas bolas na trave e um belo gol de Emerson, que parecia o prenuncio de uma fácil vitória pela superioridade do Corinthians como um todo.  Depois da metade do primeiro tempo, contudo, o Palmeiras começou a dar o ar da graça ofensivamente, empatou com Vilson e obrigou Cassio a algumas difíceis defesas.  No segundo tempo este panorama não se modificou, eo alviverde, com o garoto Vinicius,virou o placar e continou dominando.  Pois existia um claro vazio entre a defesa do Corinthians e seu meio de campo, além da clamorosa diferença de ritmo entre os dois times.

Aí Tite percebeu que, se não mudasse esquema e jogadores, iria fatalmente de encontro a uma imprevista derrota e colocou, sucessivamente, Romarinho, Renato Augusto e Pato, que deram outra mobilidade ao time e o levaram ao merecido empate.  Autor aquele Romarinho que sempre se dá bem, em termos de gols, quando enfrenta o Palmeiras.

E como os dois times estavam fisicamente cansados, em que pese as correspodentes mexidas de Gilson Kleina, com as entradas de Charles, Ronny e Caio, a maior categoria de alguns jogadores do Corinthians, além de seu entrosamento, pesaram na balança e tornaram incerto o desfecho do jogo.

Em minha opinição o resultado foi justo, e serviu para mostrar duas coisas.  Para o Corinthians a de que, somente na base da categoria, não irá a lugar algum e julgar que ganhar quando assim o desejar é um erro.  Pois só quando começou a correr de verdade, é que conseguiu chegar ao empate.  Isto vale, sobretudo em função da Libertadores.

Quanto ao Palmeiras, a atuação e o resultado, que se segue à vitoriosa estreia na Libertadores, constituem uma poderoso injeção de ânimo e entusiasmo, mostrando que o técnico está trilhando o caminho certo na formação deste novo time.  Onde poderá chegar, contudo, é coisa que somente o tempo poderá nós dizer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário